GONDOMAR

Associação vende arte para erguer centro de apoio a doentes com esclerose

A Associação Nacional de Esclerose Múltipla (ANEM) abriu segunda-feira, no Porto, uma exposição-venda de obras de arte para gerar fundos que a ajudem a construir um centro de apoio a portadores daquela doença.

Segundo Daniela Couceiro, coordenadora técnica da ANEM, o centro está orçado em 65 mil euros e vai ser construído ao lado da sede da associação, na freguesia de Valbom, Gondomar. "Temos de recorrer a todas as formas possíveis e imaginárias para angariar fundos que nos permitam lançar em obra em 2005, como é nosso desejo", disse à Lusa Daniela Couceiro, justificando o lançamento da exposição-venda.

A mostra estará patente até dia 21 junto à Praça do Cubo, na Ribeira do Porto, com trabalhos de 11 criadores nas áreas da pintura, cerâmica, fotografia e literatura.
Daniela Couceiro disse que espera também um contributo governamental para a obra do novo centro de apoio, através do Fundo de Socorro Social.

"Escrevemos há oito meses ao Ministério da Segurança Social a formular esse pedido e ainda não tivemos resposta", disse. O futuro centro permitirá a estada e os tratamentos dos portadores de esclerose múltipla, bem como um serviço de refeições e outro de lavandaria.

Perspectivam-se, igualmente, actividades lúdico-pedagógicas. A ANEM é uma instituição privada de solidariedade social com 370 associados, que aposta em melhorar a qualidade de vida dos portadores de esclerose múltipla e assegurar os seus direitos sociais.

Segundo a ANEM, a esclerose múltipla afecta mais de um milhão de pessoas em todo o mundo, das quais cinco mil são portuguesas. É uma doença inflamatória crónica do sistema nervoso central que interfere com a capacidade do cérebro em controlar funções como a visão e a locomoção.

 

Data de introdução: 2004-11-16



















editorial

O TRIÂNGULO DA COOPERAÇÃO

A consciência social, aliada ao dever ético da solidariedade, representa uma instância suprema de cidadania, um compromisso inalienável para com os mais vulneráveis e em situação de marginalidade, exclusão e pobreza.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (II)
Na continuação dos assuntos abordados no meu texto anterior, reitero que vale a pena, aos dirigentes das IPSS, independentemente das suas convicções ideológicas ou...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A guerra na Ucrânia e as consequências para a Europa
A guerra na Ucrânia é, sem dúvida, o maior desafio que se coloca à União Europeia desde a sua fundação. É a primeira vez, desde a última grande...