PRÉMIO MANUEL ANTÓNIO DA MOTA

ADFP vence prémio com projeto Mentes Brilhantes

A Fundação ADFP -- Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional, com sede em Miranda do Corvo, distrito de Coimbra, venceu hoje o Prémio Manuel António da Mota, no valor de 50 mil euros, pelo seu projeto "Mentes Brilhantes". O vencedor do prémio, criado em 2010 pela Fundação Manuel António da Mota, foi conhecido numa cerimónia na Alfândega do Porto.

De acordo com o organização, a Fundação ADFP mereceu a preferência do júri pelo seu projeto "Mentes Brilhantes", que visa "despertar nos alunos dos extratos mais desfavorecidos o gosto pela aprendizagem e pelo conhecimento, incrementando a sua cultura científica de modo a potenciar o talento dos estudantes através de um conjunto de atividades lúdico-pedagógicas, complementando o papel da escola em áreas do saber que não são tão exploradas".

O presidente da Comissão Executiva da Fundação Manuel António da Mota, Rui Pedroto, afirmou que nesta 6.ª edição do prémio, dedicada ao tema da inovação social, a Fundação quis "enaltecer as instituições que se notabilizam na apresentação de iniciativas inovadoras de elevado impacto social e que visam dar resposta a questões sociais de maior atualidade e premência, designadamente as relacionadas com a educação, emprego e combate à pobreza e exclusão social, e que constituem importantes desafios com que Portugal se confronta nos anos vindouros".

"Estamos muito satisfeitos com os resultados alcançados com o Prémio Manuel António da Mota, excedendo as nossas melhores expetativas", acrescentou o responsável.

A Fundação ADFP -- Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional é uma instituição particular de solidariedade social que prossegue a atividade da Associação para o Desenvolvimento e Formação Profissional, nascida em 1987 e sediada em Miranda do Corvo.

A Fundação presta apoio nas áreas da infância, deficiência, doença mental, idosos, saúde e formação profissional, dispondo ainda de atividade cultural e desportiva, além de ser parceira do município de Miranda do Corvo no projeto do Parque Biológico da Serra da Lousã.

A organização do prémio destaca que a Fundação ADFP "investe em pessoas através da criação e inovação de respostas sociais, orientadas para o convívio intergeracional, a integração de pessoas com deficiência, doença mental ou minorias étnicas e promoção do desenvolvimento sustentado".

A Fundação Manuel António da Mora premiou ainda, com menções honrosas, a Associação Conversa Amiga, a Associação Fazer Avançar, a Câmara de Torres Vedras (projeto ISA), Censo, Fisoot (Formação, Integração Social e Ofertas de Oportunidades de Emprego), Just a Change, LEQUE, Re-Food 4 Good Associação e os Serviços de Ação Social da Universidade de Coimbra.

O Prémio Manuel António da Mota foi criado em 2010 com o objetivo de reconhecer anualmente organizações e personalidades que se destaquem nos vários domínios de atividade da Fundação com o mesmo nome.

O galardão pretendeu este ano "enaltecer os esforços desenvolvidos pelas organizações que se distinguem pelo caráter inovador dos seus projetos na resposta aos problemas sociais do país, mormente nas áreas da educação, emprego e luta contra a pobreza e exclusão social".

 

Data de introdução: 2015-12-14



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...