PORTALEGRE

Cavaco Silva elogia instituições de solidariedade social

O Presidente da República, Cavaco Silva, sustentou que Portugal “deve muito” ao trabalho realizado pelas Misericórdias e IPSS, destacando o seu papel durante o período em que foram pedidos sacrifícios aos portugueses.
“Realizaram uma obra notável nos anos mais recentes em que foram pedidos sacrifícios aos portugueses e, nesta ocasião, no final dos meus mandatos, quero dirigir um agradecimento muito especial, um muito obrigado, posso dizer em nome da grande maioria dos portugueses, por aquilo que fizeram em favor da coesão social do nosso País”, afirmou.
Cavaco Silva discursava na cerimónia de inauguração das obras de remodelação e ampliação das instalações da Santa Casa da Misericórdia de Portalegre, que contaram com um investimento superior a 3,1 milhões de euros.
“Portugal deve muito, diria muitíssimo, a instituições desta natureza: o que fizeram, o que estão a fazer e o que vão continuar a fazer pelos mais desfavorecidos da nossa sociedade. Os idosos, os deficientes, as crianças, aqueles que, dificilmente, de outra forma, encontrariam uma mão estendida, pronta, para ajudá-los”, acrescentou.
Recordando que, ao longo dos seus dois mandatos, visitou por todo o País “muitas dezenas” de instituições, o Chefe de Estado disse ter sido testemunha da “obra notável” desenvolvida pelas misericórdias, instituições de solidariedade social e pela Igreja.
“Ao longo dos meus mandatos visitei dezenas, muitas dezenas de instituições sociais e estou em condições, melhor do que muitos outros, de testemunhar a obra notável que encontrei de norte a sul do País, do interior ao litoral, realizado por misericórdias, por instituições de solidariedade social e por instituições da Igreja”, sublinhou.
Depois de ter visitado o Centro de Formação da GNR, o Presidente da República inaugurou, também em Portalegre, um lar residencial para portadores de deficiência e uma Estrutura Residencial Para Idosos (ERPI).
A intervenção nas instalações da Misericórdia permitiu requalificar o lar residencial do Espírito Santo, com capacidade para 39 utentes portadores de deficiência, e a construção da ERPI Doutor Plínio Serrote, com 67 camas.
A ERPI foi financiada em 75% por fundos comunitários, ao passo que o lar residencial recebeu uma comparticipação de 100%.
As duas valências estão em funcionamento desde dezembro último.

(com Lusa)

 

Data de introdução: 2016-02-11



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...