Presidentes do Mercosul criam fundo contra a pobreza

Os presidentes do Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai decidiram criar um fundo para financiar projectos de combate à pobreza extrema, durante uma reunião em Assunção. Os membros do Mercosul também decidiram retomar em breve as negociações visando um acordo de livre comércio com a União Europeia (UE). 

Na luta contra a pobreza, o acordo, assinado pelos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, Néstor Kirchner, Tabaré Vázquez e Nicanor Duarte, cria o Fundo Social Especial, para o qual "serão destinados recursos visando a incorporação plena dos sectores afetados pela pobreza extrema (...) O fundo financiará projectos que possibilitem a mobilização de mão-de-obra e actividades produtivas em condições diferenciadas do mercado financeiro", destaca o pacto.

Contribuirão para o fundo os países membros do Mercosul e organismos internacionais de crédito. Segundo os presidentes, a iniciativa "ajudará na construção de uma sociedade mais eqüitativa e justa, necessária para a consolidação da democracia no Mercosul".

O acordo foi assinado no palácio presidencial, onde os quatro líderes jantaram com outras autoridades convidadas para a reunião de cúpula. O bloco também decidiu retomar em breve as negociações sobre um acordo de livre comércio com a UE, informou o ministro uruguaio da Economia, Danilo Astori. As negociações foram interrompidas por causa das diferenças envolvendo as concessões mútuas.

Saiba o que é o MERCOSUL
MERCOSUL histórico
MERCOSUL geográfico

 

Data de introdução: 2005-06-28



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...