ASSOCIAÇÃO DE PARALISIA CEREBRAL DE COIMBRA

Exposição «Diamonds and Rust» para ver até ao próximo dia 21

«Diamonds and Rust» são quatro dezenas de pinturas, da autoria dos utentes da Sala O2, do Centro de Atividades Ocupacionais da Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC).
A exposição decorre no Centro de Reabilitação de Paralisia Cerebral de Coimbra, e está patente até ao próximo dia 21 de julho.
Criadas com recurso às técnicas da colagem, relevos, folha de cobre, pintura, ferrugem e stencil, as obras podem ser vistas e adquiridas, de segunda a sexta (das 8H00 às 18H00).
«Diamonds and Rust» tenta suscitar em cada visitante uma interpelação de ideias pré-concebidas em torno dos conceitos de beleza e fealdade. Estendendo a metáfora para o processo criativo que originou este conjunto de trabalhos, procura-se mostrar como uma realidade mais áspera e suja (a «ferrugem» do título) pode levar ao brilho e à luz (os «diamantes» que são cada um dos utentes envolvidos e as suas obras).
Trata-se da sexta exposição coletiva dos utentes da Sala O2, tendo sido já dadas a conhecer coleções dedicadas à linoleogravura, à pintura, à monotipia, à escultura, aos brinquedos de mola ou aos fantoches.
A apresentação pública de trabalhos artísticos ou produtos manufaturados é uma forma de apoiar e fomentar o processo inclusivo, em linha com a missão da APCC de promover a inclusão social de pessoas em situação de desvantagem, com especial incidência nos que têm deficiência ou incapacidade.
A Sala O2, que funciona na Quinta da Conraria, é frequentada por pessoas com significativas limitações da atividade e restrições na participação, mas empenhadas em trabalhar – com ou sem adaptações – e mostrar as suas atividades sociais, criativas ou lúdicas, numa perspetiva ordenada do saber fazer.
A inauguração aconteceu perante colaboradores da Associação e os primeiros visitantes, com a presença de Fernando Filipe de Oliveira, presidente da Direção, e António Valente, professor de artes plásticas e responsável pelo projeto SOCRIN – Socialmente, Criativo e Inclusivo, em que esta iniciativa se insere e que procura contribuir para a visibilidade social deste grupo de pessoas.

 

Data de introdução: 2019-07-17



















editorial

ANO NOVO – NOVOS DESAFIOS

(...) Deve relevar-se como um passo muito significativo o compromisso constante do Pacto de Cooperação, no sentido de o Estado e as Instituições deverem repartir de forma equitativa os encargos com as respostas sociais em que existem...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A revisão do Pacto para a Solidariedade
Nos últimos dias do ano transato os Presidentes da Associação Nacional dos Municípios Portugueses (AMNP), da Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE), da...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORT. DO VOLUNTARIADO

ESTRATÉGIA NACIONAL DE COMBATE À POBREZA: Um nobre desafio a Portugal
Finalmente, foi aprovada uma Estratégia Nacional de Combate à Pobreza (ENCP). Apesar de haver aspetos importantes por conhecer, no que respeita a exequibilidade desta Estratégia, em...