PRESIDENTE DA CNIS E O AUMENTO DO SALÁRIO MÍNIMO

Governo tem que ajudar para proteger a tesouraria das instituições

A CNIS alerta para o impacto do aumento do salário mínimo nacional na tesouraria das IPSS e espera que “ainda este Governo” tenha “isso em atenção”.
Em entrevista à Rádio Renascença, no dia 8 de dezembro, o padre Lino Maia lembrou que, por causa da crise política e com as eleições no final de janeiro não haverá "uma adenda assinada para atualizar as comparticipações do Estado" antes de meados do próximo ano.
Nesse sentido, o presidente da CNIS revelou estar a dialogar com o atual Executivo de forma a evitar problemas de tesouraria.
“Espero que ainda este Governo, ou um próximo que entre, possa ter uma atenção para com este sector, até porque já em janeiro nós temos que atualizar os vencimentos dos trabalhadores”, e o “salário mínimo, cuja atualização nós apoiamos, tem um impacto muito grande nas instituições”, referiu.
O presidente da CNIS reforçou a ideia de que “ainda este governo, ou então o próximo logo que tome posse, possa destinar um reforço às instituições, porque em janeiro já têm um aumento muito significativo de custos na massa salarial”.
O padre Lino Maia recordou que “40% das instituições chegam ao final do ano com resultados negativos” e que “a massa salarial representa entre 60% e 70% dos custos das instituições”.
Por isso, antevê “grandes problemas” financeiros por causa da “atualização do salário mínimo, que surge depois de um dezembro em que tivemos despesas acrescidas com o pagamento do décimo terceiro mês”.

 

Data de introdução: 2021-12-09



















editorial

ANO NOVO – NOVOS DESAFIOS

(...) Deve relevar-se como um passo muito significativo o compromisso constante do Pacto de Cooperação, no sentido de o Estado e as Instituições deverem repartir de forma equitativa os encargos com as respostas sociais em que existem...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A revisão do Pacto para a Solidariedade
Nos últimos dias do ano transato os Presidentes da Associação Nacional dos Municípios Portugueses (AMNP), da Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE), da...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORT. DO VOLUNTARIADO

ESTRATÉGIA NACIONAL DE COMBATE À POBREZA: Um nobre desafio a Portugal
Finalmente, foi aprovada uma Estratégia Nacional de Combate à Pobreza (ENCP). Apesar de haver aspetos importantes por conhecer, no que respeita a exequibilidade desta Estratégia, em...