COVILHÃ

Casa do Tempo quer conciliar vida familiar e profissional de famílias carenciadas

A associação Beira Serra vai abrir um espaço na Covilhã para ajudar famílias carenciadas e com horários laborais atípicos a cuidar de crianças e idosos e a realizar tarefas domésticas. "Os pais vão poder deixar as crianças na Casa do Tempo, ir buscá-las ao fim do dia e levar para casa uma sopa ou roupa passada a ferro", exemplifica a coordenadora da associação, Graça Rojão.

O espaço, designado de Casa do Tempo, está orçado em 500 mil euros, inclui a remodelação e equipamentos a instalar numa vivenda e está integrado no projecto COMpasso, co-financiado pela iniciativa comunitária E-Qual.

O projecto tem como objectivo facilitar a conciliação entre a vida familiar e profissional dos utentes e resulta da parceria entre a Câmara da Covilhã, Universidade da Beira Interior, União de Sindicatos/CGTP, Núcleo Empresarial da Região de Castelo Branco e entidades estatais.

"Na Casa do Tempo as famílias vão dispor de actividades de tempos livres para idosos e crianças, serviço de refeições e tarefas domésticas", explica Graça Rojão. As famílias com horários atípicos e menores capacidades financeiras são os principais alvos do projecto. Haverá ainda espaços multimédia e de estudo acompanhado, entre outras valências e actividades que estão a ser estudadas, como é caso de ateliers ocupacionais para idosos.

Segundo Graça Rojão, o projecto de requalificação do edifício, com cerca de 500 metros quadrados, está feito e "as obras de remodelação devem começar durante o Verão". Para além de técnicos especializados em cada área, o projecto contará com a prestação da rede de voluntariado que a Beira Serra constituiu ao longo dos últimos anos na Covilhã.

A rede conta com a participação de 75 voluntários e já prestou mais de 1.800 serviços de apoio a famílias e instituições. O projecto COMpasso prevê ainda a realização de acções de formação para empresários e com modelos flexíveis de trabalho que permitam conciliar as responsabilidades profissionais e familiares.

10.06.2006

 

Data de introdução: 2006-06-10



















editorial

IMPORTÂNCIA ECONÓMICA E SOCIAL DAS IPSS

Para uma quantificação atualizada da importância social e económica das Instituições Particulares de Solidariedade Social em Portugal a CNIS assegurou o cofinanciamento do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE),...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A sustentabilidade da Segurança Social
Quando se tenta perspetivar o que pode acontecer no futuro aos sistemas de segurança social há variáveis que são mais fáceis de prever, mas também existem outras...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Só quando for um desígnio nacional será erradicada a pobreza
Nas últimas semanas, a pobreza em Portugal voltou a ser tema de abertura em todos os medias. Esta atenção especial deveu-se a informações preocupantes emanadas de fontes...