ARTES PLÁSTICAS NA BIBLIOTECA DE ABRANTES

CRIA expõe Casas e retrata emoções

Entre 5 e 19 do próximo mês de Novembro, vai estar patente ao público na Biblioteca Municipal António Botto, em Abrantes, a Exposição de Artes-plásticas “Casas”, da autoria dos alunos do Centro de Recuperação Infantil de Abrantes, numa parceria entre esta Instituição e a referida Biblioteca.

Esta exposição – venda poderá ser visitada nos dias úteis, entre as 9 horas e as 19h30m. A reserva de quadros para aquisição poderá ser efectuada no serviço de atendimento da Biblioteca António Botto.

“Casas” é o tema. Muitas e de diferentes formas e cores são as casas que ganharam forma nas telas através das memórias dos artistas, do pincel e das mãos de um grupo de utentes do Centro de Actividades Ocupacionais do CRIA. Durante quase um ano e meio, na sala de expressão plástica, o grupo deu largas à sensibilidade e às emoções.

O tema "casas" foi sugerido pelo grupo de artistas que deram cor e vida a um conjunto de telas, que com muita originalidade e espontaneidade retrataram a forma como vêem a sua própria habitação e a dos outros que os rodeiam, integradas no tecido urbano ou em meio rural.
As obras apresentam as cores e a harmonia características da visão e do sentir dos autores, todos jovens com deficiência.
São telas únicas que retratam emoções e que nesta Exposição poderão ser adquiridas pelos visitantes.

Os artistas plásticos que integram esta exposição colectiva são: Dora Marcelino, Elizabete Cordeiro, Marta Pinto, Madalena Ramos, Nuno Dias, Nuno Heitor, Ricardo Pereira e Victor Hugo.
A arte como terapia é uma ferramenta de aprendizagem e de inclusão social e cultural.

2007 é o Ano Europeu da Igualdade de Oportunidade Todos e esta exposição de pintura constitui um desafio aos visitantes e uma oportunidade concretizar o direito à igualdade.

 

Data de introdução: 2007-10-25



















editorial

O TRIÂNGULO DA COOPERAÇÃO

A consciência social, aliada ao dever ético da solidariedade, representa uma instância suprema de cidadania, um compromisso inalienável para com os mais vulneráveis e em situação de marginalidade, exclusão e pobreza.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (II)
Na continuação dos assuntos abordados no meu texto anterior, reitero que vale a pena, aos dirigentes das IPSS, independentemente das suas convicções ideológicas ou...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A guerra na Ucrânia e as consequências para a Europa
A guerra na Ucrânia é, sem dúvida, o maior desafio que se coloca à União Europeia desde a sua fundação. É a primeira vez, desde a última grande...