ABRANTES

CRIA venceu Prémio IGUALDADE NA DIVERSIDADE

O Centro de Recuperação Infantil de Abrantes recebeu o primeiro prémio distrital “Igualdade na Diversidade”, no âmbito do Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos (AEIOT). Este prémio, no valor de 2.500 euros, resultou de uma candidatura a um concurso promovido pela Estrutura de Missão do Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos, com o objectivo de distinguir, em cada um dos distritos do país, uma iniciativa concreta que promovesse as boas práticas sobre a diversidade e a não discriminação. O CRIA candidatou a este prémio a realização do Festival Nacional de Teatro de Especial (FNATES 2007) e venceu o primeiro lugar no distrito de Santarém.

Para o Presidente da Direcção do CRIA, Humberto Lopes, a atribuição deste prémio significa “um incentivo para a Instituição e, sobretudo para a equipa que promove o Festival, bem como para todos os utentes e técnicos envolvidos neste projecto de Arte como forma de inclusão”.

Recorde-se que o FNATES promovido pelo Centro de Recuperação Infantil de Abrantes procura, através da arte, estimular e promover a criatividade e integrar actores com deficiência, sensibilizar o público e quebrar algumas barreiras do preconceito que impede uma mais fácil inclusão da diferença. O Festival Nacional de Teatro Especial assume a tarefa de promover a aposta num trabalho de retaguarda cultural e, simultaneamente, de vanguarda humanista, onde a arte e a deficiência se envolvem para promover o direito à igualdade na diversidade.

A cerimónia de entrega do prémio, presidida pelo Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, Jorge Lacão, teve lugar na passada quarta-feira, dia 7 de Novembro, no Museu das Comunicações, em Lisboa. Contou ainda com as presenças de Elza Pais, Coordenadora da Estrutura de Missão do AEIOT; Alexandra Pimenta, em representação da Secretária de Estado Adjunta e da Reabilitação; Alexandre Rosa, vice-presidente do IEFP e José Almeida, da Fundação Portuguesa das Comunicações.

Para o Secretário de Estado da Presidência é fundamental identificar, reconhecer e trabalhar os diferentes factores de discriminação, numa sociedade cada vez mais heterogénea. Jorge Lacão sublinhou que é fundamental promover os Direitos Humanos e a dignidade da pessoa humana, considerando que esta deverá ser uma responsabilidade de todos. Lembrou ainda que o próximo Quadro Comunitário, que irá decorrer até 2013, prevê disponibilidade financeira para candidaturas a programas operacionais, abrangendo três grandes linhas de intervenção, uma das quais é a qualificação de recursos humanos, com o objectivo da inclusão e do combate à discriminação.

Elza Pais, coordenadora da Estrutura de Missão da AEIOT, defendeu a necessidade de continuar a aposta num trabalho que vise “combater a discriminação e eliminar estereótipos para exercer a cidadania”.
Cultivar valores como a diversidade e a tolerância, combater a discriminação e promover a inclusão social são as apostas deste Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos.

 

Data de introdução: 2007-11-30



















editorial

O TRIÂNGULO DA COOPERAÇÃO

A consciência social, aliada ao dever ético da solidariedade, representa uma instância suprema de cidadania, um compromisso inalienável para com os mais vulneráveis e em situação de marginalidade, exclusão e pobreza.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (II)
Na continuação dos assuntos abordados no meu texto anterior, reitero que vale a pena, aos dirigentes das IPSS, independentemente das suas convicções ideológicas ou...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A guerra na Ucrânia e as consequências para a Europa
A guerra na Ucrânia é, sem dúvida, o maior desafio que se coloca à União Europeia desde a sua fundação. É a primeira vez, desde a última grande...