FÁTIMA

Número de peregrinos aumentou em 2007

A Igreja da Santíssima Trindade, inaugurada em Outubro, e a comemoração dos 90 anos das Aparições levaram ao aumento de peregrinos no Santuário de Fátima, que, segundo dados hoje divulgados pela instituição, chegaram aos 5,5 milhões em 2007. Segundo o Santuário, em 2007 passaram pela Cova da Iria cerca de 5,5 milhões de peregrinos, mais 500 mil que no ano anterior. Nas cerimónias oficiais, o número de participantes foi de 4,9 milhões, a que se somam os participantes nas celebrações particulares.

Esta subida está directamente relacionada com as celebrações dos 90 anos das Aparições mas também com a inauguração da nova Igreja da Santíssima Trindade, que provocou um aumento dos participantes na eucaristia diária das 11:00, explicou fonte do Santuário. Também o número de confissões subiu de 190 mil para 200 mil, bem como o número de hóstias consumidas (1,7 milhões de partículas). Espanha, Itália e Polónia mantêm-se como os países com mais peregrinos no santuário, referem ainda os dados divulgados pelo Serviço de Peregrinos.

Para o padre Virgílio Antunes, director deste serviço, Fátima "deixou de ser simplesmente um lugar geográfico para se transformar numa mensagem" para "muitos milhões" que procuram na cidade-santuário a sua "paz interior". Para isso, porém, são necessários "lugares tranquilos, espaços verdes, zonas pedonais, arrumação e diminuição dos caudais de trânsito", bem como a "eliminação dos ruídos de diversa ordem", defendeu aquele responsável do Santuário.

"Fátima oferece uma dimensão espiritual muito bem definida dentro do contexto da fé católica" e cabe agora ao Governo investir na sua qualificação urbana, apesar dos "preconceitos próprios das sociedades laicas do nosso tempo". "Não estamos à espera que seja o Estado ou as instituições pública a fazer a difusão da mensagem de Fátima", mas "esperamos que este fenómeno de massas seja reconhecido como tal", acrescentou Virgílio Antunes. O sacerdote sublinhou que "Fátima tem um significado e uma projecção que ultrapassa muito a região e o país", pelo que o Estado deve "ter em conta essa especificidade".

08.02.2008

 

Data de introdução: 2008-02-08



















editorial

NO CINQUENTENÁRIO DO 25 DE ABRIL

(...) Saudar Abril é reconhecer que há caminho a percorrer e seguir em frente: Um primeiro contributo será o da valorização da política e de quanto o serviço público dignifica o exercício da política e o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Liberdade e Democracia
Dentro de breves dias celebraremos os 50 anos do 25 de Abril. Muitas serão as opiniões sobre a importância desta efeméride. Uns considerarão que nenhum benefício...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Novo governo: boas e más notícias para a economia social
O Governo que acaba de tomar posse tem a sua investidura garantida pela promessa do PS de não apresentar nem viabilizar qualquer moção de rejeição do seu programa.