MIRA DE AIRE

População e entidades locais financiam novo lar de associação de apoio a idosos

O novo lar de idosos, em Mira de Aire, concelho de Porto de Mós, foi custeado apenas com o apoio dos moradores e das entidades locais, sem recurso a qualquer financiamento estatal. "A obra custou 600 mil euros e não tivemos qualquer apoio estatal", disse à Agência Lusa Eugénio Lopes, presidente da direcção da Associação de Amparo Familiar de Mira de Aire. "Tínhamos umas instalações antigas, que já não apresentavam condições adequadas, e só agora é que conseguimos ter a obra nova", que terá capacidade para acolher os 32 utentes que a instituição cuida.

Além destes idosos, a associação presta apoio domiciliário a 63 outros utentes, explicou Eugénio Lopes, salientando que a instituição constitui o "maior apoio social" para a população mais velha da sede daquela freguesia serrana do concelho de Porto de Mós.

Para a construção do edifício, a associação contou com um apoio de 80 mil euros da Câmara Municipal de Porto de Mós e 2.500 da Junta de Freguesia de Mira de Aire, cabendo a parte restante à população, que se "uniu em campanhas de angariação".

O edifício, com cerca de 1.300 metros quadrados de área coberta, irá ser a nova sede da associação que serve mais de 10.700 refeições e mais de 7.800 lanches por ano.

O envelhecimento da população e o isolamento de muitos idosos nas suas casas são algumas das preocupações da direcção desta associação. "Precisamos de reforçar o apoio aos mais idosos que ainda estão em casa", até porque esse "número tem tendência para aumentar", disse Eugénio Lopes.

A inauguração está prevista para este domingo, 10 de Fevereiro, com um almoço volante que deverá contar com mais de 600 pessoas.

08.02.2008

 

Data de introdução: 2008-02-08



















editorial

O COMPROMISSO DE COOPERAÇÃO: SAÚDE

De acordo com o previsto no Compromisso de Cooperação para o Setor Social e Solidário, o Ministério da Saúde “garante que os profissionais de saúde dos agrupamentos de centros de saúde asseguram a...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Imigração e desenvolvimento
As migrações não são um fenómeno novo na história global, assim como na do nosso país, desde os seus primórdios. Nem sequer se trata de uma realidade...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Portugal está sem Estratégia para a Integração da Comunidade Cigana
No mês de junho Portugal foi visitado por uma delegação da Comissão Europeia contra o Racismo e a Intolerância do Conselho da Europa, que se debruçou, sobre a...