LEI DE BASES

Portugal já tem legislação específica sobre Economia Social

O Parlamento aprovou por unanimidade a lei de bases da Economia Social, que estabelece o regime jurídico e as medidas de incentivo ao sector. O diploma define as "bases gerais do regime jurídico da economia social, bem como as medidas de incentivo à sua actividade", abrangendo as cooperativas, misericórdias, fundações, associações mutualistas, instituições particulares de solidariedade social, associações "com fins altruísticos" desportivas e culturais, entre outras.
Para o ministro da Solidariedade e da Segurança Social, esta foi uma aprovação "histórica", que vem "permitir mudar toda a legislação do sector cooperativo, das mutualidades e até mesmo do sector social".
Pedro Mota Soares, disse que com a aprovação da lei de Bases da Economia Social, Portugal passou a ser o segundo país da União Europeia a ter legislação específica para esta área. O ministro da Solidariedade e da Segurança Social frisou que só a Espanha está à frente de Portugal no que toca a legislação específica sobre Economia Social. "Mesmo em França, onde o tema da Economia Social é tão importante, não existe um mecanismo como este, que temos hoje em Portugal", acrescentou.
Mota Soares disse ainda que a Economia Social representa 5,5 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), com cerca de 250 mil postos de trabalho diretos. No entanto, acredita que ainda é possível aumentar este peso da Economia Social. "Gostava que a Economia Social em Portugal pudesse representar cerca de 10 por cento do nosso PIB, que é o mesmo que o Turismo representa", defendeu. Na sua opinião, "para isso é preciso continuar a trabalhar", tendo a lei de bases da Economia social sido um passo "muito importante".

 

Data de introdução: 2013-03-20



















editorial

IMPORTÂNCIA ECONÓMICA E SOCIAL DAS IPSS

Para uma quantificação atualizada da importância social e económica das Instituições Particulares de Solidariedade Social em Portugal a CNIS assegurou o cofinanciamento do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE),...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A sustentabilidade da Segurança Social
Quando se tenta perspetivar o que pode acontecer no futuro aos sistemas de segurança social há variáveis que são mais fáceis de prever, mas também existem outras...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Só quando for um desígnio nacional será erradicada a pobreza
Nas últimas semanas, a pobreza em Portugal voltou a ser tema de abertura em todos os medias. Esta atenção especial deveu-se a informações preocupantes emanadas de fontes...