FREGUESIAS

Mais de metade das freguesias sem pessoal qualificado e sem Internet

Quase dois terços das juntas de freguesia do país não tem pessoal qualificado e apenas metade está equipada com postos de Internet, revelou o presidente da Associação Nacional das Juntas de Freguesia (ANAFRE). "Apenas 42 por cento das juntas de freguesia têm recursos humanos qualificados para darem resposta à sociedade de informação", afirmou Armando Vieira, no final de uma reunião com o secretário-geral do PSD, Miguel Relvas, onde expôs as reivindicações das freguesias.

Segundo o presidente da ANAFRE, a mão-de-obra mais qualificada e os melhores meios técnicos estão nas maiores freguesias do país, "apesar de haver excelentes exemplos no interior". "É preciso dar um salto qualitativo e uma determinação legal que estabeleça que cada freguesia tenha um trabalhador qualificado que responda à sociedade de informação e à modernização administrativa com os meios mais modernos", sublinhou Armando Vieira.

A falta de meios técnicos nas freguesias é outra preocupação da ANAFRE: "temos uma rede de 4254 freguesias, que podem ser agentes locais de desenvolvimento da sociedade de informação, mas apenas metade está equipada com posto de Internet". A associação está a fazer uma ronda pelos partidos políticos para divulgar as suas reivindicações e para que "sejam reconhecidas as valias das freguesias ao nível do desenvolvimento do país".

"Os partidos que nos receberam até agora (Bloco de Esquerda, PSD e PSP) estão sensibilizados para as nossas preocupações, que nós queremos ver consagradas num futuro próximo", disse o responsável.

 

Data de introdução: 2005-01-25



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...